Os cinco Yamas do Patanjali

Cinco Yamas do Yoga

"Tatra ahimsa satya steya brahmacharya parigraha yamaha'' (II Sutra 30)

Tatra = Neste ponto; Ahimsa = não violência; Satya = verdade; Asteya = não roubar; Brahmacharya = movendo-se no Brahman ; Aparigraha = não acumular; yamaha =  são os yamas ou restrições.

"Não violência, verdade, não roubar, mover-se no Brahman, não acumular, são os  cinco yamas."

Ahimsa – não violência , Satya - verdadeasteya – não roubar, brahmacharya – mover-se no Brahman, mover-se na grandeza, aparigraha – não acumular. Esses são os cinco yamas.

"Jiti desha kala samaya navachchinnaha sarvabhouma mahavratam'' (II Sutra 31)

Jiti = condição de vida; Desha = país; Kala = tempo; Samaya = circunstâncias; Sarvabhouma = universal; Mahavratam = o grande voto.

"Os grandes votos são universais e não estão limitados pelas condições de vida, país, tempo ou circunstâncias”.

 

Essas são as palavras mais grandiosas, porque são aplicáveis a todos os lugares, em todos os tempos, por todas as pessoas, a tudo, sem exceção. Há certas leis que só podem ser aplicadas a certas pessoas, emcertos lugares, em épocas determinadas. Isso não é universal. Mas esses cinco princípios são universais. Um animal não pratica a violência sem alguma razão. Os animais selvagens só caçam quando têm fome e quando querem comer. Eles não vão caçar ou morder alguém sem prazer. Mas os seres humanos fazem isso. Eles vão caçar sem nenhuma razão. Uma serpente come um rato por mês e isso é tudo. Ela dorme pelo resto do mês. Apenas um rato por mês é suficiente. Embora seja assustadora e perigosa, ela pode engolir uma cabra ou comer algo maior, ela pode ficar vários meses sem fazer nada. Ela não vai ferir ou matar nenhum outro animal.

Mas os seres humanos, em nome de Deus, em nome do amor, se matam entre si. A violência insensata prevalece no mundo em nome de um país, em nome de uma religião, em nome de uma raça. Isso não tem o menor sentido. Isso é a falta total de viveka, falta total de sabedoria. Uma pessoa violenta não pode ouvir ninguém. Os seus ouvidos estão selados. Por que a violência aparece? Como ela aparece? Devido às frustrações. A mente fica frustrada e a frustração constrói algo. Uma grande interrogação aparece. Essa mesma questão vira violência, “por quê, por quê, por quê”? Ela se espalha pelos arredores. Uma multidão comete violência. Individualmente, uma pessoa pode não ser capaz de cometer aquele ato violento, mas quando uma pessoa está no meio da multidão, ela se junta aos outros. Viveka é quando a pessoa abraça a não violência, “Eu não vou matar nenhum animal, nenhuma vida sobre este planeta. Consciente ou inconscientemente”. Sem seu conhecimento, você já está destruindo muitas criaturas. Você anda e muitas formiguinhas estão morrendo sob seus pés. Você não está matando nenhuma. Isso só está acontecendo. Mas uma intenção de destruir alguma coisa, uma intenção de violência pode destruir sua própria base, sua própria raiz. Desistir da intenção de violência é ahimsa.

Depois satya. Isso é estar com o que existe neste momento, estar com algo que não está mudando. Saber que alguma coisa na sua profundidade não está mudando. Satya não significa falar a verdade. Entende o que estou dizendo?  Satya é o total compromisso com a verdade. Não se trata apenas de palavras. Infelizmente as pessoas cometem o erro de entender satya só como palavras faladas. Muitas pessoas consideram ser grosseiro como sendo verdadeiro. Qual é o efeito de ahimsa? Patanjali, um cientista, dá uma linda explicação.

<< Mudar é inevitável >><< O mundo é parte daquele que é Iluminado! >>

(Este texto é parte de uma série de folhetos baseados nos comentários de Sri Sri Ravi Shankar sobre os Patnajali Yoga Sutras.)

Cinco Yamas da Yoga

"Tatra ahimsa satya steya brahmacharya parigraha yamaha'' (II Sutra 30)

Tatra = Neste ponto; Ahimsa = nãoviolência; Satya = verdade; Asteya = não roubar; Brahmacharya = movendo-se no Brahman ; Aparigraha = nãoacumular; yamaha =  são os yamas ou restrições.

"Nãoviolência, verdade, não roubar, mover-se no Brahman, não acumular são os  cinco yamas."

Ahimsa – nãoviolência , Satya - verdadeasteya – não roubar, brahmacharya – mover-se no Brahman, mover-se na grandeza, aparigraha – nãoacumular. Esses são os cinco yamas.

"Jiti desha kala samaya navachchinnaha sarvabhouma mahavratam'' (II Sutra 31)

Jiti = condição de vida; Desha = país; Kala = tempo; Samaya = circunstâncias; Sarvabhouma =   universal; Mahavratam = o grande voto.

"Os grandes votos são universais e não estão limitados pelas condições de vida, país, tempo ou circunstâncias”.

 

Essas são as palavras mais grandiosas porque são aplicáveis a todos os lugares, em todos os tempos, por todas as pessoas, a tudo, sem exceção. Há certas leis que só podem ser aplicadas a certas pessoas, certos lugares, em épocas determinadas. Isso não é universal. Mas esses cinco princípios são universais. Um animal não pratica a violência sem alguma razão. Os animais selvagens só caçam quando têm fome e quando querem comer. Eles não vão caçar ou morder alguém sem prazer. Mas os seres humanos fazem isso. Eles vão caçar sem nenhuma razão. Uma serpente come um rato por mês e isso é tudo. Ela dorme pelo resto do mês. Apenas um rato por mês é suficiente. Embora seja assustadora e perigosa, ela pode engolir uma cabra ou comer algo maior, ela pode ficar vários meses sem fazer nada. Ela não vai ferir ou matar nenhum outro animal.

Mas os seres humanos, em nome de Deus, em nome do amor, se matam entre si. A violência insensata prevalece no mundo em nome de um país, em nome de uma religião, em nome de uma raça. Isso não tem o menor sentido. Isso é a falta total de viveka, falta total de sabedoria. Uma pessoa violenta não pode ouvir ninguém. Os seus ouvidos estão selados. Por que a violência aparece? Como ela aparece? Devido às frustrações. A mente fica frustrada e a frustração constrói algo. Uma grande interrogação aparece. Essa mesma questão vira violência, “por quê, por quê, por quê”? Ela se espalha pelos arredores. Uma multidão comete violência. Individualmente, uma pessoa pode não ser capaz de cometer aquele ato violento, mas quando uma pessoa está no meio da multidão, ela dá as mãos aos outros. Viveka é quando a pessoa abraça a nãoviolência, “Eu não vou matar nenhum animal, nenhuma vida sobre este planeta. Consciente ou inconscientemente”. Sem seu conhecimento, você já está destruindo muitas criaturas. Você anda e muitas formiguinhas estão morrendo sob seus pés. Você não está matando nenhuma. Isso só está acontecendo. Mas uma intenção de destruir alguma coisa, uma intenção de violência pode destruir sua própria base, sua própria raiz. Desistir da intenção de violência é ahimsa.

Depois satya. Isso é estar com o que é neste momento, estar com algo que não está mudando. Saber que alguma coisa na sua profundidade não está mudando. Satya não significa falar a verdade. Entende o que estou dizendo?  Satya é o total compromisso com a verdade. Não se trata apenas de palavras. Infelizmente as pessoas cometem o erro de entender satya só como palavras faladas. Muitas pessoas consideram ser grosseiro como sendo verdadeiro. Qual é o efeito de ahimsa? Patanjali, um cientista, dá uma linda explicação.

<< Mudar é inevitável >><< O mundo é parte daquele que é Iluminado! >>

(Este texto é parte de uma série de folhetos baseados nos comentários de Gurudev Sri Sri Ravi Shankar sobre os Patnajali Yoga Sutras.)

    NEWSLETTER